Notícias

Eventos

Representantes da área de HIV e AIDS falam sobre a importância de se acabar com a discriminação

30-05-2017 - #EseFossecomVocê - Foto: Rafael Neddermeyer

O UNAIDS realizou nesta semana (30/5) a primeira de uma série de conversas inspiradoras da campanha #EseFosseComVocê?, como parte de sua iniciativa Zero Discriminação. Feito em parceria com a Embaixada do Reino Unido e o Consulado Britânico de São Paulo, o encontro buscou promover debates informais sobre juventude, HIV e direitos.

O evento aconteceu na Sala Cultura Inglesa (Duke of York Auditorium), no Centro Brasileiro Britânico, no bairro de Pinheiros, e contou com a moderação da jornalista e Embaixadora de Boa Vontade do UNAIDS, Glória Maria. Os jovens youtubers Tuy Potasso e Biel Vaz, do canal Sensualise Moi foram os mestres de cerimônia. Participaram das conversas, youtubers, influenciadores e ativistas virtuais que vivem, convivem ou lidam com os temas de discriminação e prevenção ao HIV de alguma forma em suas funções e em seu cotidiano.

“Fizemos um evento diferente dos moldes tradicionais. Trouxemos aqui profissionais de saúde, agências da ONU, gestores públicos, representantes de governo, mas nenhum desses setores esteve representado no palco”, explica Georgiana Braga-Orillard.  “Nenhuma das pessoas no palco era especialista em HIV. No palco, reservamos espaço para o outro lado, onde o indivíduo está inserido nessa resposta à epidemia, para entendermos mais sobre a responsabilidade da sociedade como um todo.”

Seguindo o tom da campanha #EseFosseComVocê?, lançada em março em parceria com a Ogilvy e apoio da Rede Globo, os debates tiveram o objetivo de provocar a reflexão. “Queremos colocar setores diferentes para conversar, criar conexões, inspirar uns aos outros e para nos tirar de nossas zonas de conforto. Não temos nenhuma resposta. Nosso objetivo foi o de fazer todo mundo sair dos debates com a pergunta: E se fosse com você?”

O evento foi planejado para ter uma atmosfera intimista, para  150 convidados, mas foi transmitido ao vivo pela página do Facebook da @ONUBrasil e pela página do Facebook da  Embaixadora de Boa Vontade do UNAIDS no Brasil, @WanessaCamargo e alcançando mais de 300 mil pessoas.

Antes do início dos debates, o anfitrião do evento, Ministro Conselheiro da Embaixada do Reino Unido no Brasil, e representantes da área de IST/AIDS do governo federal, estado e município de São Paulo fizeram as falas de boas-vindas. A Diretora do Departamento de IST/AIDS e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Dra. Adele Benzaken, foi uma delas. Adele parabenizou o UNAIDS pela campanha e pelo evento e destacou os avanços que o Brasil teve nos últimos tempos na luta contra a AIDS, destacando a incorporação do dolutegravir e da PrEP (profilaxia pré-exposição) no SUS.

Adele, entretanto, ressaltou que isso ainda não é o suficiente. Para ela é preciso lutar incansavelmente contra a discriminação e o preconceito em torno do tema. “Nesse quesito, artistas, jornalistas, atletas e celebridades têm um papel fundamental, porque eles emprestam sua voz, seu talento, sua beleza e sua arte para formarem opinião e com isso contribuem para mudar essa realidade.”

A Diretora do UNAIDS no Brasil agradeceu o apoio do Ministério da Saúde à iniciativa Zero Discriminação e ressaltou a importância de reunir pessoas fora do universo da saúde, de governo, gestão e da ONU para discutir o tema. “Precisamos levar o debate à sociedade e falar de responsabilidade social—que é complementar e essencial ao que já está sendo feito e é o princípio da iniciativa Zero Discriminação”, explicou.

Também participaram das falas de boas-vindas ao evento Maria Clara Gianna, Diretora do Centro de Referência e Treinamento em DST/AIDS do Estado de São Paulo, Maria Cristina Abbate, Coordenadora do Programa Municipal de DST/AIDS de São Paulo.

“As agendas de DST/AIDS e dos Direitos Humanos se integram o tempo todo. É muito importante essa liderança sempre vigorosa do UNAIDS no sentido de trazer esse debate e incluindo pessoas de outros setores que não da saúde, que são muito importantes para amplificar nossa voz de profissionais de saúde e de gestores do serviço público pela questão da intransigência na defesa de direitos humanos”, disse Maria Cristina. “É impossível atuarmos na agenda da prevenção às IST/AIDS sem atuarmos na área da defesa de direitos.”

Para a Diretora Centro de Referência e Treinamento em DST/AIDS do Estado de São Paulo as pautas de direitos humanos e da Zero Discriminação são uma questão que tem permeado várias das discussões e das ações na área de HIV. “Mas a gente percebe que a gente tem que investir ainda mais. A hashtag #EseFosseComVocê é muito importante porque nos permite discutir diferentes questões e olhar para tudo que a gente ainda tem para fazer”, disse Maria Clara. “Hoje a gente espera avançar também na discussão da prevenção de HIV entre jovens e fundamentalmente entre jovens gays. A gente tem realmente que discutir essa questão: é uma epidemia concentrada no nosso país e no nosso estado com a necessidade de estratégias diferenciadas.”

O Ministro Conselheiro da Embaixada do Reino Unido no Brasil, abriu as falas com um discurso sobre direitos. “O trabalho em direitos humanos é muito importante para nós no Reino Unido. Já trabalhei com o UNAIDS em Nova York e quando trabalhava com o presidente da Assembleia Geral da ONU e tive que organizar um evento de alto nível para resposta ao HIV e à AIDS. Foi um dos melhores momentos de minha vida profissional”, disse Mir. “O progresso que fizemos nos últimos anos contra o HIV foi muito impressionante. Mas temos muito trabalho a fazer. E o trabalho com a sociedade civil feito pelo UNAIDS é muito importante.”

Logo após as falas de boas-vindas, que ocorreram durante o coquetel de recepção, os convidados foram direcionados ao auditório para assistir aos debates. O evento foi marcado também pela nomeação de Glória Maria como Embaixadora de Boa Vontade do UNAIDS e por um pocket show da também Embaixadora do UNAIDS, Wanessa Camargo—que prestou uma homenagem ao cantor e compositor Cazuza ao fazer um dueto com o ator e cantor Gabriel Estrela, jovem liderança que vive com HIV e que tem um canal no Youtube chamado Projeto Boa Sorte.

Fonte: Unaids Brasil