Notícias

Eventos

Mitos e verdades sobre o HIV/AIDS

Desde os primeiros casos de HIV no mundo, em 1984, muita coisa mudou a respeito do entendimento sobre a doença, graças aos avanços científicos e tecnológicos.

A vida das pessoas que vivem com o HIV tem sido prolongada, mas ainda precisamos lembrar que é uma doença sem cura, que requer atenção e cuidado.

A AIDS, doença causada pelo vírus do HIV, ainda deixa muitas dúvidas sobre o que realmente é verdade ou não. A fim de esclarecer todos os questionamentos e evitar a circulação de notícias falsas, separamos alguns mitos e verdades, afinal toda informação é válida. Confira:

1 – Mesmo tendo contraído o HIV, é possível o exame dar negativo?
VERDADE. Após ter contato com o vírus, leva-se um tempo para que o vírus chegue até o sangue e a resposta imunológica ocorra. Esse período é chamado janela imunológica e, caso o exame seja realizado durante esse período, o teste pode ser negativo, por isso é importante refazer a testagem.

2 – O HIV é transmitido por beijo?
MITO. A transmissão do HIV ocorre somente por contato com sangue contaminado ou pelo aleitamento materno. A única chance de contaminação por beijo ocorre se houver contato sanguíneo por meio de uma ferida.

3 – Se eu e meu parceiro temos HIV não precisamos usar preservativos
MITO. Mesmo que você e seu parceiro tenham HIV é recomendado o uso de preservativos, pois existem diferentes subtipos de HIV com cargas virais diferentes. Além disso, o preservativo previne a contaminação com outras infecções sexualmente transmissíveis (IST).

4 – Mulheres que vivem com HIV podem ter filhos
VERDADE. É importante que as mulheres que convivem com o HIV façam o uso correto dos medicamentos antirretrovirais para que se torne indetectável. Quando a carga viral é indetectável, o vírus torna-se intransmissível. Para isso, é fundamental que o diagnóstico seja feito o mais breve possível e a medicação seja tomada durante toda a gravidez. Em casos de diagnóstico da doença tardiamente, durante a gestação, a utilização de medicamentos no trabalho de parto e pós parto auxiliam na diminuição das chances de transmissão.

Procure se informar em sites confiáveis, de ONGs ou órgãos públicos, para não ler informações falsas.

Acesse outros textos de nosso blog e saiba mais sobre HIV/AIDS: http://www.pca.org.br/